fbpx

Resenha Pare de se sabotar e dê a volta por cima, de Flip Flippen

Quando ganhei o livro Pare de se sabotar e dê a volta por cima, não gostei muito do presente. Afinal, quem quer ter a certeza…

by 

Quando ganhei o livro Pare de se sabotar e dê a volta por cima, não gostei muito do presente. Afinal, quem quer ter a certeza de que vem tendo comportamentos sabotadores? Pior ainda, que tais comportamentos estão tão evidentes que até outras pessoas conseguem observá-los.

Por este motivo, relutei em começar a leitura. Demorei mais do que gostaria, confesso. Por que assim que peguei o livro para ler, me encantei. Sim, o início do livro é chatinho como você já sabe. Mas depois que você entende o porquê de tantos rodeios. E simplesmente segue em frente se surpreende. E embarca em uma jornada de autoconhecimento sem volta. E muito transformadora.

pare de se sabotar e dê a volta por cima

Sinopse: O que aconteceria se, em vez de você se concentrar naquilo que já fez bem, passasse a identificar seus pontos fracos, aqueles comportamentos que já viraram hábito mas que continuam a impedir que alcance seu melhor desempenho? Em Pare de se sabotar e dê a volta por cima, Flip Flippen mostra a importância do autoconhecimento para se alcançar a satisfação pessoal e sucesso profissional. Ele acredita que, uma vez identificadas as limitações de cada personalidade, é possível superá-las de forma definitiva e atingir resultados gratificantes.

Compre o livro na Amazon / Adicione o livro à sua Meta de Leitura no Skoob

A maioria das pessoas acreditam que o sucesso verdadeiro é ter muito dinheiro. Alcançar fama internacional. Ganhar prêmios.

Essa pode ser basicamente a definição de sucesso absoluto de algumas pessoas. E se perguntadas quais são as características que os farão alcançar tais feitos. Muito provavelmente citarão seus talentos naturais, suas aptidões.

No entanto, de acordo com Flip Flippen: “- O sucesso verdadeiro é ser reconhecido como alguém que melhora a vida de quem toca – o que também significa buscar tocar mais pessoas, pois no fundo você sabe que faz diferença.”

Muitas pessoas são apenas uma fração do que elas realmente podem ser. Sejam elas pais de família, chefes, funcionários, filhos. O que for. Por que elas estão muito concentradas em trabalhar somente seus dons. E não em melhorar aquilo que as limita. Impedindo assim que elas cresçam ainda mais. Por que elas não conseguem identificar e tratar as características que as prejudicam.

E quando trabalhamos apenas na manutenção daquilo que já somos bons. Perdemos uma grande oportunidade de sermos excelentes. Por esta razão, Flippen sempre questiona seus expectadores com uma pergunta matadora:

O que vocês poderiam se tornar se identificassem seus pontos mais fortes e eliminassem suas piores limitações?”

Essa pergunta é realmente impactante e mexe conosco de uma maneira profunda. Por que se pudéssemos nos tornar pessoas melhores: filhos e maridos mais atenciosos, chefes que lideram e não apenas mandam, pais que ouvem seus filhos e não apenas repreendem. Poderíamos nos tornar mais fortes, mais corajosos, mais compassivos e seria mais fácil e muito mais agradável viver em sociedade.

Inclusive, a sociedade nada mais é do que a soma de seus indivíduos. E se estamos nos transformando em pessoas melhores, logo teremos uma sociedade melhor.

Escrever esse pensamento, dar forma a ele parece muito utópico. E provavelmente é. Mas imagina o quão incrível seria se nós, enquanto indivíduos pudéssemos nos livrar de comportamentos nocivos. A sociedade como um todo colheria os bons frutos de tais mudanças.

No livro Pare de se sabotar e dê a volta por cima, conhecemos mais do trabalho de Flip. E ele resume logo nas primeiras páginas, a base de todo o seu trabalho. O cerne do programa de crescimento pessoal, constituído por princípios simples. Que ele carinhosamente apelidou de as Cinco Leis das Limitações Pessoais.

Sistema esse que foi desenvolvido baseado em experiências e reflexões. Um sistema completo, que permite identificar os fatores específicos que restringem nosso desempenho. Vamos conhecê-los:

As 5 leis das limitações pessoais

  1. Todos temos limitações pessoais – algumas limitações são mais prejudiciais que outras. E elas podem ser divididas em três grupos: limitações inconsequentes, limitações delegáveis e limitações intransferíveis.
  2. Não é possível transpor as limitações que não enfrentamos.
  3. Nossas limitações pessoais atuam em todas as esferas das nossas vidas.
  4. As limitações pessoais estão atreladas às tarefas.
  5. Vence quem tiver menos limitações.

O livro fala muito sobre todos termos limitações pessoais, em alguns casos mais de uma limitação fica bastante evidente. Contudo, se não trabalharmos para melhorar tais limitações seremos engolidos por elas. E nossos planos de viver uma vida extraordinária vão para o ralo.

O grande segredo do sucesso – e entenda que aqui não estou falando de quanto dinheiro você tem, mas sobre ser a melhor versão de si mesmo – é identificar rapidamente as limitações que mais têm impacto em nossas vidas.

Você vai gostar de ler também: Resenha O Começo de Tudo, Robyn Shcneider

Mas como identificar corretamente o problema e iniciar o processo de mudança? A resposta está dentro das 159 páginas do livro Pare de se sabotar e dê a volta por cima. Mas eu vou encurtar o caminho para você e te contar quais são as 10 principais limitações fatais:

Conheça as 10 principais limitações fatais e pare de se sabotar e dê a volta por cima

  1. À prova de balas (excessivamente confiante) – a pessoa que possui esse tipo de limitação tem dificuldades em admitir erros. É teimosa. Tem uma personalidade dominante e agressiva. Dentre outros aspectos.
  2. Ostra (pouco autoconfiante) – quem possui essa limitação fatal geralmente é uma boa pessoa, sempre gentil com todos à sua volta. Porém é bastante indeciso, se preocupa demais com os outros e tem muita dificuldade de fazer contato visual devido a sua falta de confiança.
  3. Docinho de coco (superprotetor) – essa limitação fatal geralmente está presente em indivíduos que são generosas em excesso. Eles fazem tudo. Ficam até mais tarde, trabalham para ajudar os demais, se esforçam e se desgastam em dobro. E nunca dizem não.
  4. Crítico (exigente, implicante ou rude demais) – tal limitação, geralmente está presente em pessoas que reparam demais nos defeitos das outras pessoas, são céticas, sarcásticas, que nunca estão felizes ou ficam entusiasmadas com nada.
  5. Iceberg (pouco afável) – as pessoas que tem essa limitação pessoal, normalmente são pouco amorosas ou receptivas. Elas não se comovem com os problemas alheios (não ao ponto de fazerem algo a respeito). São fechadas e não se sentem confortáveis em demonstrar afeto em público.
  6. Catatônico (paixão, visão ou vigor baixos) – quem possui esse tipo de limitação pessoal, geralmente são pessoas acomodadas, que tem dificuldade de respeitar prazos e no trabalho, por exemplo, precisam ser monitoradas com constância para entregarem o mínimo.
  7. Rolo Compressor (excessivamente confiante) – pessoas que possuem essa limitação, tendem a liderar tarefas. Oque não seria nenhum problema se elas não passassem por cima de quem quer que esteja no caminho.
  8. Tartaruga (resistente a mudanças) – quem possui essa limitação pessoal, geralmente fica nervoso diante de mudanças e incertezas, prefere rotinas estáveis, são muito teimosas, sistemáticas e não gostam de correr riscos.
  9. Vulcão (agressivo, raivoso) – pessoas que possuem essa limitação pessoal, com frequência se frustram quando são pressionados, são competitivas em excesso, não aceitam ser contrariados, não filtram suas palavras e dificilmente pedem desculpas.
  10. Rápido no Gatilho (pouco autocontrole, impulsivo)- quem possui essa limitação pessoal costuma ser espontâneo e se entediar com facilidade. Gosta de experimentar coisas novas, tem a tendência de abandonar projetos ou relacionamentos que apresentam dificuldade. Além da enorme dificuldade de gerenciar suas finanças.

Entenda as combinações perigosas de limitações pessoais e pare de se sabotar e dê a volta por cima

Algumas limitações pessoais podem ser instáveis e desconfortáveis tanto para você, quanto para as pessoas que vivem ao seu redor. No entanto, somadas à outras limitações podem ser potencialmente perigosas. Veja algumas combinações de limitações pessoais difíceis de superar de uma vez.

  • Vulcão + Rápido no Gatilho – os comportamentos mais comuns são: raiva, impaciência, gritos, críticas, sarcasmos, saídas violentas durante discussões, insultos, entre outros atos violentos.

Exemplo de personalidade que possui essas duas limitações pessoais: Mike Tyson.

Quando perguntado se pretendia voltar a lutar profissionalmente, sua resposta nos diz muito sobre o que se passa dentro dele: “Para entrar no ringue e lutar profissionalmente, preciso me transformar em outra pessoa. Eu não gosto dessa pessoa e nunca mais quero me transformar nela.”

  • Docinho de Coco + Ostra – essa combinação produz um comportamento amável demais. A pessoa é carinhosa e atenciosa e sempre toma conta de todo mundo. Contudo, sua pouca autoconfiança faz com que os outros tirem vantagem dela.
  • Rolo Compressor + Vulcão – essa combinação complicada é quase sempre explosiva. Pessoas que carregam as duas limitações tendem a passar por cima dos outros como um trator. São muito intensas e geralmente deixam rastros de destruição por onde quer que passem.
  • À prova de balas + Tartaruga – essa combinação é no mínimo intrigante. Ao passo que as pessoas que possuem essas limitações são extremamente confiantes. Também são uns cabeças dura resistentes à mudanças.

Superando as limitações pessoais

Quase no final do livro Pare de se sabotar e dê a volta por cima, encontramos um plano de TrAÇÃO para que possamos começar a trabalhar em nossos projetos de mudanças. Entretanto, é importante saber que esse plano não faz parte de um voo solo. Muito pelo contrário.

É importante nomear um “padrinho de mudança“, para que ele acompanhe o processo e faça as cobranças necessárias. Caso falhemos na execução do plano e no meio do caminhe falte disposição e motivação.

Se você está com a leitura de Pare de se sabotar e dê a volta por cima parada na estante, tire a poeira desse livro agora mesmo e comece a folheá-lo. Não precisa lê-lo de uma vez. Por que as historias em demasia podem realmente causar certa confusão e desânimo. No entanto, elas são essenciais para associarmos a situações do nosso cotidiano. E percebermos que todos passamos por dificuldades ao longo de nossas vidas.

E o que diferencia os vencedores dos medíocres é a sua disposição para se tornarem o melhor que podem ser, em qualquer área de suas vidas.

Gostou da resenha ou do conceito do livro? Deixe um comentário aqui nos contando como foi a sua experiência.

Comente a sua dúvida

%d blogueiros gostam disto: